Polícia Civil indicia advogada por apropriação indébita de mais de R$ 20 mil de cliente em Minas Gerais

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) indiciou uma advogada, de 34 anos, pela prática dos crimes de patrocínio infiel e apropriação indébita de valores recebidos no exercício da profissão. O caso ocorreu em Santos Dumont, na Zona da Mata.

A vítima, de 71 anos, contratou os serviços da advogada para ingressar com uma ação judicial, na qual saiu vitoriosa, sendo a parte ré condenada a pagar a quantia de R$ 21 mil.

No entanto, a advogada não repassou os valores referentes ao processo para a vítima.  

No decorrer das investigações a Polícia Civil apurou, ainda, que a advogada esteve com a vítima e condicionou a devolução do dinheiro à retirada da denúncia feita junto às instituições, no intuito de pôr fim às apurações. 

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Daniel Gomes, “além do indiciamento da advogada pelos crimes cometidos, foi solicitado à Justiça a suspensão do exercício profissional da investigada, com encaminhamento de ofício à Ordem dos Advogados do Brasil – OAB”. 

A Polícia Civil ainda apura outra denúncia feita contra a profissional.