Prefeitura anuncia reforma administrativa e pagamento de salário está comprometido

Compartilhe

O prefeito Antônio Almas, do PSDB, anunciou, na tarde desta quarta-feira, 21, um projeto de reforma administrativa para o município. Segundo o Executivo, a medida foi tomada com base na crise financeira, mas também pela proposta de um governo transversal.

Com folha bruta de pagamento de R$ 55 milhões e um déficit de repasses que ultrapassa os 200 milhões, a Prefeitura de Juiz de Fora ainda precisava, até a noite desta quarta, de 15 milhões em caixa para garantir o pagamento de novembro do funcionalismo público municipal. A informação foi repassada durante coletiva que apresentou uma reforma administrativa municipal. Na ocasião, o prefeito Antônio Almas também lembrou a dificuldade de garantir o pagamento do décimo terceiro salário.

O objetivo da coletiva foi apresentar uma reforma administrativa que pretende reduzir de R$ 10 a R$ 13 milhões dos gastos públicos pelos próximos dois anos. Para isso, foi anunciada a extinção de três secretarias municipais, que se incorporam a outros setores.

As mudanças devem passar por aprovação da Câmara e a expectativa é que o novo modelo, se aprovado, passe a vigorar ainda neste ano. As reformas também passam pela administração indireta, com o Museu Mariano Procópio sendo absorvido pela Funalfa.

Também foi anunciada a dança das cadeiras no governo municipal. O novo secretário de governo será Carlos Alberto Ramos de Faria, que vai acumular a função de Secretário de Agropecuária até a modificação da pasta.

José Sóter de Figueroa passa a responder pela Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania, após o pedido de exoneração feito pelo juiz aposentado José Armando da Silveira.

Outra troca é na Secretaria de Planejamento e Gestão, de onde sai Argemiro Tavares, que continua na administração, e entra Lúcio Fortes. As nomeações serão publicadas no dia 1º de dezembro.

Também foi apertada a tecla da redução de cargos comissionados para reduzir gastos. O prefeito afirmou a necessidade, apesar de não falar em números. No entanto, garantiu a permanência dos atuais secretários, mesmo que em outros setores da administração.

Foto: Désia Souza