Ex-deputado Bonifácio Andrada será sepultado em Barbacena

repórter Edilene Lopes / Itatiaia BH

O ex-deputado federal Bonifácio Andrada morreu, no início da noite desta terça-feira, 5, aos 90 anos, vítima de complicações decorrentes da Covid-19. Ele estava internado em Belo Horizonte desde o dia 16 de dezembro.

Andrada foi deputado federal por dez mandatos consecutivos e integrou a Assembleia Nacional Constituinte, exercendo 60 anos de atividade parlamentar. Foi o político mais longevo do país.

Advogado, jornalista, cientista político, doutor em direito público, professor universitário e político, era reitor da Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac) e presidente da Fundação José Bonifácio Lafayette de Andrada (Funjobe) – entidade mantenedora da Faculdade de Medicina de Barbacena, criada por ele. Era, ainda, provedor da Santa Casa de Misericórdia de Barbacena.

História

Nascido no dia 14 de maio de 1930, Bonifácio Andrada era filho do ex-presidente da Câmara dos Deputados José Bonifácio Lafayette de Andrada e descendente direto — da quinta geração — do patriarca da Independência Nacional José Bonifácio de Andrada e Silva.

Seus primeiros passos na política foram no ambiente estudantil. Em 1951 foi secretário-geral do departamento estudantil da UDN e, no ano seguinte, elegeu-se presidente da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE). Foi eleito vereador em Barbacena em 1954 e fundou, no mesmo ano, juntamente com seu
pai, o jornal Correio da Serra — ainda em circulação.

Em 1955 foi Oficial de Gabinete do Ministro da Agricultura do governo Café Filho. Depois, elegeu-se deputado estadual por quatro mandatos consecutivos. Neste período foi secretário da Educação do Estado no governo Magalhães Pinto, relator da Constituição Mineira de 1967 e presidente da Assembleia Legislativa de MG (1968). De 1975 a 1978 ocupou a secretaria do Interior e Justiça do Estado, durante o governo Aureliano Chaves.

Em 1979 foi eleito pela primeira vez deputado federal. Permaneceu na Câmara por dez mandatos consecutivos, até 2018. Durante este longo período como parlamentar foi vice-líder do governo do presidente João Figueiredo; presidente da Comissão de Constituição e Justiça; procurador Parlamentar da Câmara; candidato a vice-presidente da República na chapa de Paulo Maluf; presidente da Comissão Especial de Consolidação da Legislação Brasileira; secretário de Estado de Administração e Recursos Humanos durante a gestão do governador Hélio Garcia (MG); relator do Tratado que criou o Estatuto Jurídico da Igreja Católica no Brasil; e um dos relatores do projeto do Novo Código Civil Brasileiro.

Ainda como deputado federal, Andrada votou a favor do impeachment da presidenta da República Dilma Rousseff e foi o relator do processo de impeachment do presidente da República Michel Temer, em 2018.

Andrada deixa oito filhos, entre eles o também deputado federal Lafayette Andrada (Republicanos – MG).

texto – Fonte: Agência Câmara de Notícias
áudio – Fonte: Edilene Lopes / Itatiaia

radio ao vivo mais ouvida em jf