Especialista fala sobre autismo no atual contexto da pandemia de coronavírus

A primeira semana de abril é dedicada às reflexões sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), devido ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo, celebrado no dia 2 de abril.

Embora o contexto atual não permita a realização de eventos e caminhadas de conscientização, típicos da época, o movimento migrou para a internet.

São lives, cursos, capacitações e uma série de esforços para que o desenvolvimento não seja deixado de lado nesse período de isolamento.

A psicóloga Ana Darc Arcanjo explica como as terapias têm sido adequadas nesse cenário.

Segundo ela, a orientação é que os pais façam atividades com os filhos para que o desenvolvimento adquirido, até então, seja mantido.

psicóloga Ana Darc Arcanjo

As atividades também contam com orientações de habilidades de autocuidados,como tomar banho, escovar os dentes,pentear o cabelo, entre outras atividades diárias. Para a profissional,o processo repetitivo leva a uma aprendizagem mais efetiva.

A dificuldade de interação social e de linguagem, aliada à comportamentos repetitivos e restritos estão ligados ao diagnóstico do autismo.

Segundo a psicóloga Ana Darc Arcanjo, é possível diagnosticar o quadro bem cedo a partir, por exemplo, da dificuldade de troca de olhares do bebê com a mãe, durante a amamentação.

De acordo com a profissional, quanto mais cedo se busca ajuda, melhor é o quadro evolutivo da criança autista.  

radio ao vivo mais ouvida em jf