Artista lamenta pichação em obras, Prefeitura fala sobre ações de manutenção e combate ao vandalismo

Compartilhe

A frustração por criar arte e um estímulo à beleza e vê-la depredada é um sentimento que faz parte da vida do artista plástico Ricardo Barcellos.

Em várias ligações à rádio Itatiaia, ele narrou as obras que criou em praças públicas de Juiz de Fora foram pichadas e estão descuidadas. É o caso dos 36 painéis pintados na praça do bairro Bom Pastor; o pórtico em mosaico que faz referência ao pintor Henri Matisse na praça Jarbas de Lery Santos no São Mateus e na escultura em ferro que homenageia a obra Abaporu, de Tarsila do Amaral na praça do Bairro Santa Luzia. Estas e outras, segundo o artista plástico Ricardo Barcellos estão pichadas.

De acordo com a assessoria da Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania (Sesuc), a Guarda Municipal monitora as condições de preservação de monumentos e demais bens públicos.

A Secretaria pondera que a ação de vandalismo costuma acontecer nos momentos em que não há o patrulhamento. No entanto, não houve nenhuma denúncia feita nos anos de 2021 e 2022 à Guarda Municipal.

A Sesuc alerta que o reparo é um gasto público que sai do orçamento municipal, por isso, a população pode ajudar: quem perceber algum ato de vandalismo deve acionar à Guarda Municipal pelo telefone 153. A central da Guarda fará contato com a equipe mais próxima para averiguação dos fatos.

Crime

A pichação é crime, previsto na legislação nacional e municipal, com pena de prisão de 3 meses a um ano e pagamento de multa. Em caso de patrimônio tombado, a pena aumenta para 6 meses a um ano de detenção.

A Prefeitura de Juiz de Fora informou que está em andamento a revitalização das praças por meio do Programa Boniteza. E respondendo sobre as pichações nas obras do artista plástico Ricardo Barcellos, como as obras não são tombadas pelo patrimônio artístico municipal, a responsabilidade pela manutenção das praças e das obras que estão nela é da Empav.

Em nota, a Prefeitura de Juiz de Fora informou que fará uma vistoria técnica aos locais indicados para avaliar o tipo de manutenção que deve ser realizada e, posteriormente, incluí-los na programação.