Região tem quatro mortes de macacos por Febre Amarela

Foram confirmadas mortes de macacos por febre amarela em Mar de Espanha, Matias Barbosa, Santana do Deserto e Simão Pereira.

O subsecretário de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde, Rodrigo Said, esteve em Juiz de Fora para detalhar como o governo de Minas realiza as ações de combate a Febre Amarela. Além da morte confirmada de um homem de 40 anos, em Mar de Espanha, outras duas mortes estão em investigação na Zona da Mata: uma em Goianá em outra em Barra Longa. Também foram confirmadas as mortes de quatro macacos nas cidades de Mar de Espanha, Matias Barbosa, Santana do Deserto e Simão Pereira.

De acordo com Rodrigo, o encontro com os representantes da região na Superintendência Regional de Saúde foi para discutir como aplicar os trabalhos desenvolvidos, a importância da imunização, além de discutir e pactuar a rede assistencial e mobilização da população e profissionais da saúde. “Nós estamos apoiando os municípios e dando suporte operacional para dar a assistência à vacinação. Além disso, estamos discutindo os fluxos relacionados à rede assistencial”, afirma.

Said explicou que de dezembro de 2017 até o momento, 11 casos em humanos foram confirmados no Estado. Desses, nove evoluíram para morte. Em relação a morte de macacos por febre amarela, 21 cidades estão confirmadas e 26 em investigação, como Belmiro Braga e Juiz de Fora.

De acordo com o superintendente Regional de Saúde, Oleg Abramov, superintendência está intensificando a orientação os municípios. “É importante destacar que é um caso de vírus silvestre, não tem caso de circulação urbana”, destaca.

Minas Gerais teve maior surto entre  2016 e 2017, quando 475 casos de febre amarela em humanos foram notificados, com 162 mortes devido a doença. Até o momento o momento, o estado atingiu 81% da cobertura vacinal e tem a estimativa de 3 milhões e 600 mil pessoas não vacinadas. A meta é alcançar os 95% de imunizados.

Ouça a matéria na íntegra. Joubertt Telles.

 

Deixe uma resposta