Meningite: JF registra 4 casos em 2019.

Juiz de Fora registrou 4 casos de meningite em 2019.

Os casos não são contagiosos.

A Secretaria de Saúde confirmou o número de casos, sendo dois do tipo “Meningite não especificada”, um do tipo “Meningite Asséptica” e um de “meningite por outra etiologia”.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde informou que a vacina meningite tipo C está disponível em todas as unidades de saúde do município e que não há desabastecimento. Ela está disponível nas Unidades Básicas de Saúde, PAM Marechal e Departamento de Saúde da Criança e do Adolescente.

Até o momento, a cobertura vacinal em Juiz de Fora, para os menores de dois anos, gira em torno de 90%. Em 2018, a cobertura vacinal na cidade foi de quase 98%.

O que é meningite?

(Fonte: Ministério da Saúde))

A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Pode ser causada por diversos agentes infecciosos, ou também por processos não infecciosos como, por exemplo, medicamentos e neoplasias.

Entre os agentes infecciosos, as meningites bacterianas e virais são as mais importantes do ponto de vista da saúde pública e clinico, devido a sua magnitude, capacidade de causar surtos e, no caso da meningite bacteriana, a gravidade.

No Brasil, a meningite é considerada uma doença endêmica, deste modo, casos da doença são esperados ao longo de todo o ano, com a ocorrência de surtos e epidemias ocasionais.

A ocorrência das meningites bacterianas é mais comum no outono-inverno, e das virais na primavera-verão.

Todas as faixas etárias podem ser acometidas pela doença, porém, o maior risco de adoecimento está entre as crianças menores de 5 anos, especialmente as menores de 1 ano de idade.

Na doença causada pela bactéria Neisseria meningitidis, além das crianças, os adolescentes e adultos jovens têm o risco de adoecimento aumentado em surtos.

Na meningite pneumocócica (causada pelo Streptococcus pneumoniae) idosos e indivíduos portadores de quadros crônicos ou de doenças imunossupressoras também apresentam maior risco de adoecimento. O sexo masculino também é o mais acometido pela doença.

Cura

A maioria dos casos evolui para cura. No entanto, é necessária assistência médica na vigência dos sintomas.

A depender do agente etiológico causador da doença, em alguns casos podem ocorrer sequelas como: surdez, crises de epilepsia, danos cerebrais, amputação de membros, dificuldades de aprendizagem além de problemas comportamentais.

Vacina

A vacina contra a meningite é recomendada a partir dos 3 meses de idade, com reforços aos 5 e 12 meses e no período entre 11 e 14 anos. No sistema público de saúde, a prioridade é para crianças nessas faixas etárias, quando a doença representa um risco maior.

Sintomas

A doença é causada por vírus ou bactéria, e pode ter sintomas parecidos com uma gripe: dores de cabeça, falta de apetite e febre, mas é a rigidez da nuca que mais chama a atenção.

Para diminuir o risco de contaminação, crianças a partir de 2 meses de idade devem iniciar o ciclo de doses da vacina.

DIFERENÇAS NOS TIPOS DE TRANSMISSÃO

Meningite Bacteriana

Geralmente, as bactérias que causam meningite bacteriana se espalham de uma pessoa para outra por meio das vias respiratórias, por gotículas e secreções do nariz e da garganta. Já outras bactérias podem se espalhar por meio dos alimentos, como é o caso da Listeria monocytogenes e da Escherichia coli.

É importante saber que algumas pessoas podem transportar essas bactérias dentro ou sobre seus corpos sem estarem doentes. Essas pessoas são chamadas de “portadoras”. A maioria dessas pessoas não adoece, mas ainda assim pode espalhar as bactérias para outras pessoas.

Meningite Viral

As meningites virais podem ser transmitidas de diversas maneiras a depender do vírus causador da doença.

No caso dos Enterovírus, a contaminação é fecal-oral, e os vírus podem ser adquiridos por contato próximo (tocar ou apertar as mãos) com uma pessoa infectada; tocar em objetos ou superfícies que contenham o vírus e depois tocar nos olhos, nariz ou boca antes de lavar as mãos, trocar fraldas de uma pessoa infectada, depois tocar nos olhos, nariz ou boca antes de lavar as mãos, beber água ou comer alimentos crus que contenham o vírus. Já os Já os Arbovírus são transmitidos por meio de picada de mosquitos contaminados.

Meningite causada por Fungos

A meningite fúngica não é transmitida de pessoa para pessoa. Geralmente os fungos são adquiridos por meio da inalação dos esporos (pequenos pedaços de fungos) que entram nos pulmões e podem chegar até as meninges (membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal). Alguns fungos encontram-se em solos ou ambientes contaminados com excrementos de pássaros ou morcegos.

Já um outro fungo, chamado Candida, que também pode causar meningite, geralmente é adquirido em ambiente hospitalar.

Meningite causada por Parasitas

Os parasitas que causam meningite não são transmitidos de uma pessoa para outra, e normalmente infectam animais e não pessoas. As pessoas são infectadas pela ingestão de produtos ou alimentos contaminados que tenha a forma ou a fase infecciosa do parasita