Economia tem maior recuo desde a greve dos caminhoneiros

Em fevereiro, o nível da atividade econômica brasileira teve a maior retração desde maio de 2018, quando ocorreu a greve dos caminhoneiros.

Os números foram divulgados nesta segunda-feira, 15, pelo Banco Central. O IBC-Br – que é o índice de Atividade Econômica do Banco Central – é considerado uma prévia do resultado do Produto Interno Bruto (PIB), e registrou em fevereiro um recuo de 0,73%, na comparação com janeiro deste ano. O resultado foi calculado após ajuste sazonal (uma espécie de “compensação” para comparar períodos diferentes).

Nesta comparação, fevereiro registrou o maior recuo mensal dos últimos nove meses. Maio de 2018 foi marcado pelos efeitos da greve dos caminhoneiros, que resultou em um tombo da prévia do PIB de 3,11%.

Já em relação ao mesmo período do ano passado, foi identificada alta de 2,49% no indicador (indicador sem ajuste sazonal, pois considera períodos iguais).

No acumulado do primeiro bimestre deste ano, ainda de acordo com números do Banco Central, ocorreu uma expansão de 1,66% e, em 12 meses até fevereiro, houve uma alta de 1,21% na “prévia” do PIB.